Cuidados básicos ajudam a manter o material bonito por muito mais tempo.

Versatilidade e beleza são apenas duas das características que tornam o vidro cada vez mais popular nos projetos residenciais e comerciais.

O material também é resistente, proporciona isolamento térmico e acústico, além de contribuir para a redução do consumo de energia elétrica. Mas como realizar a correta limpeza de vidro para que ele não seja danificado e os projetos depreciados? Qual orientação deve ser dada a clientes e equipes responsáveis por serviços de instalação e manutenção?

 

Cuidados básicos indicados

Em muitos casos, os vidros ganham manchas devido a agressões involuntárias que ocorrem, justamente, durante a sua higienização.

Para que isso não aconteça, a instrução de fabricantes e beneficiadoras é de se aplicar um pano embebido com água ou álcool para realizar a limpeza de vidro. Já para a secagem, a regra é utilizar um pano seco e macio, procedimento que evita o aparecimento de manchas.

Em reação aos resíduos de difícil remoção, a recomendação é empregar uma esponja macia com sabão neutro ou produtos específicos para limpeza de vidro e, caso seja necessário, água morna. Jamais empregue força mecânica, o lado áspero da esponja ou materiais ácidos, alcalinos ou derivados de petróleo, como gasolina, querosene ou fluido de isqueiro.

Leia também:  Aumente a sua rentabilidade com vidros inteligentes

 

O que não deve ser feito durante a limpeza de vidro

Há outras orientações, além das já mencionadas, que devem ser seguidas para manter a integridade do material por muito mais tempo.

Entre elas está a recomendação de jamais fazer marcações superficiais como o emprego de gesso, cal, fita crepe e isolante com colas de origem desconhecidas. Infelizmente, trata-se de uma prática comum durante obras e que acarretam em danos irreparáveis ao material.

Nunca é demais lembrar que nenhum produto de limpeza deve ser colocado diretamente na superfície e que as bordas dos vidros laminados exigem uma maior atenção, pois a aplicação inadequada de produtos ou métodos poderá danificar a superfície provocando a delaminação.

Também é recomendável analisar a procedência do produto ou equipamento sugerido para complementar o processo de limpeza e seguir as instruções do fabricante sobre seu uso correto. Caso ainda restarem dúvidas sobre sua utilização, não aplique o produto, antes de consultar o departamento técnico do fornecedor do vidro.

 

Vidro autolimpante 

Como explicado durante esse texto, os cuidados para limpeza de vidro costumam ser simples, contudo grandes fachadas requerem uma manutenção com necessidades específicas e que contemplem, além da integridade do material, a segurança da equipe responsável pela manutenção das áreas envidraçadas e de difícil acesso.

Leia também:  As piscinas de borda infinita como tendência de projeto

Para esses casos, a indústria vidreira oferece soluções como o vidro autolimpante da PKO. Esse produto conta com uma camada transparente de dióxido de titânio (TiO2) em sua superfície externa e utiliza os raios UV (ultravioleta) e água para combater os resíduos, que com o tempo ficam acumulados no vidro.

Além do fator segurança, o vidro autolimpante contribui para a redução de custos, pois dispensa o uso frequente de detergentes e demais produtos de limpeza.

 

Preservando a integridade do vidro

Como deu para perceber, apesar de demandar manutenção constante, a limpeza de vidro é um processo relativamente simples, desde que as recomendações do fabricante ou da empresa beneficiadora sejam observadas.

Tal cuidado é imprescindível para que a integridade e a aparência do material sejam preservadas.

 

About The Author