Entenda de que forma a reposição planejada pode ajudar na entrega da obra

No momento do planejamento do projeto executivo, onde o arquiteto irá detalhar as quantidades e produtos utilizados, é preciso considerar uma margem superior de cada material em casos onde possíveis reposições possam ser complicadas para sua empresa de esquadrias ou serralheria. Ao tomar esse cuidado, é possível ter melhor otimização de prazos e custos, que impactarão diretamente o consumidor.

Confira as dicas para que sua empresa de esquadrias ou serralheria possa planejar a reposição dos vidros de modo a ganhar mais prazo e reduzir os custos!

Fatores que geram reposição

Alguns fatores interferem diretamente nos custos de um empreendimento, além de gerar atrasos no prazo de entrega ao cliente. São eles:

1. Quebras durante manuseio e armazenamento

O vidro é um material frágil e qualquer movimento brusco pode resultar em sua quebra. Devido a isso, as empresas de esquadria ou serralheria devem planejar onde o material será armazenado e ter cuidado com o seu manuseio. Quando há quebra de vidro, será necessário a reposição.

Para evitar esse tipo de problema, é preciso seguir algumas orientações de armazenamento adequado, como por exemplo:

  • É importante ter armazém fechados, cobertos e sem contato com umidade, poeira exteriores ou abrasivas.
  • O armazenamento dos vidros deve ser feito sobre cavaletes, utilizando alguns intercalares para separar cada chapa (papel ou pastilha de cortiças).
  • As pilhas de vidro devem ser homogêneas em relação as dimensões das peças e não exceder 30cm de espessura. Quando isso não for possível, é preciso empilhar dos vidros maiores para os menores.
  • Os pés dos volumes precisam estar bem apoiados contra os intercalares, garantindo assim que todos tenham a mesma inclinação.
  • Treine os colaboradores que terão contato com o material para o melhor uso e armazenamento das peças.
Leia também:  Vidro para sauna, qual usar?

2. Atrasos na obra

Em alguns casos, quando não há planejamento dos materiais que serão utilizados na obra já com a previsão de peças adicionais, pode ocorrer o atraso na obra. Caso haja a necessidade de reposição dos vidros que demandam encomenda, com certeza o cronograma da obra irá ser adiado, gerando transtornos para o cliente e para sua empresa de esquadrias ou serralheria.

Além do atraso no cronograma, você arcará também com custos extras de mão de obra para recolocação dos vidros, aluguel de balancim, multas de atrasos do empreendimento, horas extras aos profissionais envolvidos, entre outros fatores.

3. Baixo aproveitamento das chapas de vidro

Quando há um baixo aproveitamento das chapas de vidro utilizados na obra, pode haver um aumento no valor do metro quadrado do vidro de até 200%. Isso ocorre devido ao alto desperdício na otimização a partir da produção de uma peça de reposição numa chapa nova. Por isso, ainda na fase de projeto é preciso prestar atenção a esse item.

4. Atenção aos vidros especiais

Quando falamos especificamente dos vidros especiais, como os vidros de controle solar ou low-e, por exemplo, deve haver alguns cuidados especiais de planejamento da obra, isto porque demandam compra mínima e prazos maiores de fabricação. Deste modo é preciso planejar e prever possíveis problemas de curso na obra que possam gerar reposição dos vidros.

Outros tipos de vidro especiais também demandam encomenda. São eles:

  • Vidros com massa colorida
  • Vidros com espessura acima de 10mm
  • Vidros pintados
  • Chapas em tamanho jumbo

Soluções para minimizar os problemas

reposicao

Para que você consiga planejar corretamente a reposição dos vidros em sua obra, confira as dicas que preparamos a seguir:

1. Cálculo do Percentual de Quebra

É preciso planejar antecipadamente um percentual extra de quebra, que pode acontecer durante o manuseio do material. Normalmente, em uma obra, o ideal é somar 5% a mais na quantidade do vidro que pode ser resultante de uma potencial reposição.

2. Compra antecipada

Outra dica é comprar antecipadamente as chapas do vidro especial acima da quantidade necessária para obra para reaproveitamento, porém dentro do limite de estabelecido de quebra.

Leia também:  Como criar conforto térmico e acústico com vidro insulado

3. Previsão de peças-chave

Sua empresa de esquadrias ou serralheria pode também solicitar a produção de peças extras, considerando as medidas de módulos mais comuns da obra ou também considerar a maior peça da obra para armazenamento reserva.

4. Auxílio de fornecedores visando reaproveitamento

É importante contar com o auxílio de fornecedores que possam ajudar no cálculo e mensuração das melhores medidas para estoque e reaproveitamento, gerando o menor custo de reposição.

Esperamos que possamos te ajudar com essas dicas no momento de planejar as possíveis reposições de vidro que podem ocorrer durante sua obra, evitando custos extras e prazos prolongados.

Curta, comente e compartilhe esse post em suas redes sociais e nos ajude a contribuir com a formação do mercado dos vidros e das esquadrias.

About The Author

Há cerca de 20 anos no mercado brasileiro de vidros, a PKO do Brasil preza sempre pela qualidade dos seus produtos e atendimento personalizado, fatores fundamentais para o reconhecimento da empresa como referência no mercado. A missão da PKO é oferecer ao mercado produtos inovadores, com qualidade e segurança, priorizando o comprometimento com o cliente. Todo o suporte para a execução dos projetos dos clientes é feito por uma equipe de profissionais qualificados, aptos para o desenvolvimento de soluções dos mais diversos tipos de demandas. A empresa visa ser referência em vidros, por meio do desenvolvimento humano dos colaboradores, dos investimentos em tecnologia e da busca constante pela inovação.